Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A minha vidinha

A minha vidinha

12
Ago19

É tramado

Maki

Assim como não somos nós que definimos quem somos, pois estamos dependentes do meio em que crescemos, também não somos nós que decidimos o nosso futuro. Não é só lutar e acreditar para que as coisas aconteçam, há um factor extremamente importante e que infelizmente não conseguimos gerir: o factor sorte. 

Estou farta de ouvir putos vindos de berços de ouros, cujos pais/avós emprestaram não sei quantos mil euros para que lançassem o negócio a contar a sua história como se fosse uma epopeia e a alegar que qualquer um pode ser o que quer. Estou farta que usem exemplos como o da Malala para explicar que com vontade tudo se faz, como se não houvessem milhares de criancinhas que morrem todos os dias que também tem vontade de lutar pelo direito à educação.

Não é só querer e lutar, é preciso ter sorte. Sorte de nascer numa família que apoie, ou que se possa dar ao luxo de dispensar dinheiro para as vossas ideias. É preciso ter sorte para não morrer no caminho da escola e ficar cá para contar a história.

Porque é tramado... É tramado querer fazer alguma coisa e saber que a tua família se opõe a isso. É tramado ter projectos e não ter dinheiro. É tramado levar um tiro numa guerra da qual não tens culpa. É tramado não ter sorte.

Mais tramado do que não ter sorte, é ter que ouvir sortudos a dizer que tudo é possível e que o mundo é a nossa concha. 

Mas nada é mais tramado do que estar a ouvir um sortudo a dizer que o mundo é a nossa concha seguido de um “alarguem as fronteiras e abracem as pessoas que estão perto de vocês”. Quando não conheces as pessoas que estão perto de ti. E a criatura que está ao teu lado foi tocada pelo discurso. E apesar de estares já sentada abre os braços na tua direcção. E é verão. E sentes que se dizeres que não, é possível que a criatura considere que pode ser o teu guru. E não podes fugir. E a pessoa à tua frente também se está a voltar para trás. E tu és o tipo de pessoa que diz “então como vai isso?” quando chega aos sítios para evitar cumprimentar as pessoas de forma física. 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D