Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A minha vidinha

A minha vidinha

05
Set15

A minha modesta opinião sobre os refugiados

Maki

Antes de mais aviso que a minha opinião é um pouco estranha, por vezes contraditória, mas enquanto jovem acho que tenho esse direito. Eu compreendo que as pessoas queiram fugir da guerra, procurar na Europa um refúgio, afinal, eles consideram-na uma espécie de paraíso social e económico. O problema é que a Europa já não é assim tão paradisíaca quanto isso. O que provoca a alguns uma certa confusão e revolta e isso é algo que me custa aceitar... Como é que alguém que está a fugir da guerra chega a terra firme - depois de uma viagem horrível à qual teve sorte de sobreviver - e recusa fazer parte da base de dados europeia?

A imagem da criança morta na praia ao inicio chocou-me, depois de a ter visto umas 5 vezes em pleno horário nobre e umas 10 na Internet começou-me a meter nojo. O que deveria ser um abre-olhos para os idiotas que ainda não se tinham apercebido que nas viagens realizadas pelos refugiados ocorrem muitas mortes, acabou por demonstrar a estupidez humana e que continuamos a pensar que as mortes que não vemos não contam (sim, estou a referir aqueles posts existem por ai a pedir orações pela alma da criança da fotografia, pfff que lixem os outros...). O que vale é que também acabou por gerar uma onda de solidariedade.

Tenho medo. Atenção, não tenho medo dos que procuraram sossego na Europa e que se consideram sortudos por terem conseguido cá chegar. Tenho medo dos extremistas, e não estou a falar de um ou outro extremista que se possa ter aproveitado da onda de refugiados para se infiltrar na Europa (pensado bem também tenho algum medo deles...) mas refiro-me aos extremistas Europeus, aos bastardos que eventualmente daqui a algum tempo vão começar a atacar os refugiados (ou qualquer um que se pareça com tal) por considerem que são uma praga. São esses bastardos que mais me assustam! Ninguém merece levar uma sova por procurar uma vida melhor! O pior é que é quase certo que coisas dessas aconteçam. Especialmente quando há países onde os políticos andam a mandar os jovens emigrar, a percentagem de pessoas a viver em situação de pobreza é relativamente elevada e o governo está a tentar aumentar o numero de refugiados que lhe é imposto. (Ah! Estava a brincar, duvido que em Portugal hajam coisas dessas, nós somos um país fofinho).

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D