Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A minha vidinha

A minha vidinha

09
Nov19

Ah Novembro

Maki

Odeio Novembro, começam as conversas do "onde vamos passar o natal este ano?", tanto do lado do meu pai, como do lado da minha mãe. 

O que é extremamente injusto. 

Porque para mim não faz sentido celebrar o natal, porque de há uns anos para cá o natal apenas serve para acentuar o vazio de quem já não está cá. O que não é nada bacano. 

Dava um pé para ter um trabalho em que tivesse que trabalhar na noite de natal. Para que ninguém me "obrigasse" a escolher com quem vou estar, e o outro lado não ficasse meio triste por não estar lá. 

Já me ofereci para substituir uma amiga minha que é enfermeira, mas a desgraçada não quer. Diz que para além de ser ilegal; eu não ter aptidões para exercer; o receio que eu mate alguém, sente que é demasiado provavel que eu mande outros trabalhadores para o caralho. Pfff, detalhes. 

08
Nov19

O arrependimento

Maki

Tenho andado a falar com um tipo numa das apps, o tipo parecia maduro, responsável, com um sentido de humor bacano,entendia ironia. Não se chamava Arnaldo, mas hey, não se pode ter tudo. 

Combinámos ir dar uma voltinha no fim de semana. E pronto, não sei o que aconteceu mas de pouco depois o jovem deixou de perceber quando usava ironia. A conversa ficou sem conteúdo... E começo a achar que ele é um bocadinho inseguro e um niquinho beto-infantil. E oh boy.... Eu sou uma besta e não tenho classe para lidar com betos... Já expliquei que sou uma besta para apalpar terreno. Mas acho que no fundo ele não me levou a sério... (não vou negar a hipótese de ele ter sido assim desde início, e eu só ter reparado quando me apercebi que aquilo podia vir a ser algo não virtual, mas psssiu)  

Isto tudo porque não aprendo e continuo a aceitar marcar coisas após um dia de conversa... O que vale é que sou inteligente ao ponto de não cometer o mesmo erro 3 vezes e da próxima vou garantir no mínimo 2 dias de conversa .

Eu só não quero fazer doi-doi ao desgraçado... Já basta a desilusão que o desgraçado vai ter quando vir a minha tromba. 

Aaaah... Não vale a pena sofrer por antecipação, mas sinto que vem  aí um date daqueles oh: uma merda. 

07
Nov19

Gosto muito de animais mas epah...

Maki

Eu gosto de animais, juro que gosto, mas epah... Sinto que algo de estranho se passa na sociedade quando um caso de maus tratos a animais, cuja reportagem, que se baseava bastante no "diz que disse", no "acho que",  tem uma duração superior à que se refere a um ser humano que foi escravizado durante 10 anos e viveu em condições deploráveis. Quando o trafico humano é uma realidade que infelizmente está bastante presente em Portugal, especialmente nas áreas rurais... E na qual ninguém fala.

Sim, temos que proteger os animais, até porque os desgraçados não tem culpa de nada e são das criaturas mais puras que andam por ai. Mas também temos que proteger e informar a nossa própria espécie...

O gajo que matava os animais merecia ser abatido? Merecia sim sr. Mas o casal que escravizava o desgraçado do pastor também!

 

07
Nov19

A equipa do Tinder com dor de cotovelo e eu com dor de ombro

Maki

Hoje o dia não me está a correr nada bem. Primeiro não consigo instalar o Tinder porque a aplicação considerou que o meu último perfil altruísta, denominado "a solução", onde a minha profissão era lifecoach, e na qual ajudava os jovens a sacar, ia contra os termos e condições deles. Mas um bastardo com a imagem de um peixe-gato, e bio "definitely not a catfish" andou por lá 5 meses consecutivos (eu sei porque instalo isto periodicamente e ele estava sempre lá, das melhores matches que tive). 

Portanto, não há mais Tinder para mim porque a equipa ficou de birra por ajudar os machos que possivelmente iriam gastar dinheiro naquela porra se não fossem os meus conselhos magníficos. 

E doi-me o ombro, porque a senhora que me fez uma entrevista de trabalho me ligou para o WhatsApp, e eu estava preparada para receber uma chamada por Skype, e como o meu quarto estava extremamente desarrumado não podia mexer o braço para não correr o risco de apanhar a pilha de livros que tinha na secretária ou a pilha de caixas com componentes sobre o qual jazia o meu computador com a câmara enquadrada de tal forma que apenas apanhava a parede do quarto, a minha cara e mostrava que estava com uma camisinha e um blazerzito. Portanto estive quase uma hora, com o braço estendido, o meu ombro direito está on fire, e a última vez que o meu ombro esteve assim foi quando treinei 15 dias non stop e abusava nos sprints, o que sempre é uma explicação mais bacana para andar com kinesio tape do que um "bem... Tinha o quarto desarrumado, por isso tive uma hora estática a segurar no telemóvel para que não se notasse". 

Yey.

06
Nov19

Irritações

Maki

Estou à menos de 10 minutos no autocarro e já tenho vontade de dar uma cabeçada a uns amiguinhos do futebol que estão a ver um vídeo em repetição que, ou é sobre um tipo que matou um urso e se vai casar. Ou que se vai casar porque matou um urso. Ou que vai casar com um urso. Ou é um urso e se vai casar. A única coisa garantida é que já não posso ouvir a palavra urso e casar. 

Oh perdão, agora andam a ver vídeos caseiros cheios de ruído, e um puto lá à frente está a ver desenhos animados com um volume estupidamente alto. 

Maldita a hora em que meteram WiFi nos autocarros e maldito o dia em que eu nasci com mau humor matinal.

06
Nov19

O temível mundo das aplicações de encontros

Maki

De momento encontro-me a fazer um estudo de mercado associado à solteirice. Tenho 3 aplicações instaladas, das quais ainda só consegui usar uma porque as restantes só permitem usar a localização real, e, por razões mais fortes que eu, ainda não abalei da terrinha (provavelmente falarei sobre isto amanhã). 

Por isso a seguinte análise baseia-se no uso que fiz das mesmas há coisa de 2 meses. 

Tinder:

O inferno de quem procura uma conversa decente. A partir do momento em que metes uma foto tua, não podes esperar mais de 4 horas de conversa interessante sem que dê para o torto, entenda-se dar para o torto como uma tentativa do outro ser tentar parecer ser sexy com afirmações do tipo "não quero parecer porco, mas eu gosto de comer *marcadechocolatequenãomepagaparafalaedela* depois do acto", ou "eu não me importo que as gajas sejam peludas, eu também o sou", sem qualquer tipo de contexto na conversa. No entanto, se usares um desenho como imagem consegues ter até 2 dias de conversa decente, depois aparecem também insinuações sexuais. Se na imagem de perfil anunciares que estás disposta a ajudar os amiguinhos a ter mais matches e garantires que não és troll, consegues ter conversas interessantes e bastantes longas, que poderão culminar com o tipo porreiro, a quem até achas piada e estás a ponderar combinar um encontro, te agradecer por toda a tua ajuda pois  fez match com três miúdas muito porreiras e dás contigo a organizar a agenda dele para conseguir dar vazão aos dates. 

Bumble:

App porreira, onde supostamente não são só as fotografias que contam, mas também o perfil da pessoa. São obrigatoriamente as gajas que tem que começar a conversa e se passadas 24h do match essa conversa não for iniciada,  o match desaparece. Como os tugas estão habituados ao tinder e são poucos os que proporcionam conteúdo interessante no perfil para começar a conversa, uma pessoa acaba por falar maioritariamente com estrangeiros o que é óptimo para treinar o english. Não sei se é por serem estrangeiros, mas a verdade é que são raras as conversas que tomam contornos badalhocos sem aviso prévio. Como há pouca gente a usar podes acabar a fazer match com pessoas do Norte ao sul do país, o que é extremamente aborrecido porque os bacanos tendem a estar longe.

CoffeeMeetsBagel:

Uma surpresa bastante positiva, tens um número máximo de sugestões por dia (5 se não me engano), que vão de encontro ao que o algoritmo deles julga ser o teu gosto. Os perfis tentem a ser bastante completos, mas é complicado arranjar matches naquela porra por questões probabilísticas. No entanto se o tipo já te encontrou e meteu like, quando te deparas com o perfil dele aquilo avisa que ele gostou de ti. Aqui realmente os gajos já tendem a apresentar perfis decentes com conteúdo para além das fotografias. Maaas é preciso paciência para ter um match. A vantagem disso é que lhe dás mais valor e realmente tentas conhecer a criatura porque não tens 5 bastardos a dizer "olá, como estás?" ao mesmo tempo. Não te assustes, aquilo tem um separador de descoberta que não aplica necessariamente os filtros que metes, pelo que ao abrir aquilo pode aparecer um cinquentão a sorrir. Assim que alterares aquilo para as tuas preferências pode ser um aliado na procura de matches, no entanto, as matches por lá custam beans, que ganhas ao fazer login ou podes comprar. Não é recomendado a pessoas impacientes, mas é bom para quem quer fugir do "swipe swipe swipe". 

 

Honestamente a minha favorita é o Bumble, primeiro por ser eu a começar a conversa, logo não permito que aquilo seja uma conversa de "olá, tudo bem? Sim e contigo? Também. *silêncio*". Segundo por ter mais para onde olhar para além do pacote. Foi o sitio onde encontrei pessoal mais bacano, e epah... Já me elogiaram bastantes vezes o meu gosto musical por lá, e isso aquece-me o ego. 

 

Se quiserem recomendar mais alguma aplicação ou falar da vossa experiência, sou toda ouvidos. 

02
Nov19

Mestre cupido

Maki

Já experimentei o Tinder, o bumble e até mesmo o okcupid. 

Nenhum deles funcionou. O melhor tipo que me apareceu foi um amurican redneck que era fa de Murakami, mas o bacano trabalhava num cruzeiro então não deu para combinar nada. 

Após imensos swipes e matches vazios e falhados, decidi que chega. 

Todas as apps são demasiado meh e não se focam muito no conteúdo da pessoa... E por mais papável que a pessoa seja, se não houver conteúdo, não dá muito por onde lhe pegar. 

Por isso tive uma ideia de um milhão de dólares e na qual provavelmente há mais um milhão de pessoas a trabalhar. 

Uma dating app. Vou fazer um esquema e tentar apresentar a ideia a um amigo meu de design. Se ele alinhar vou fazer uma partnership com ele e desenvolver esta merda. 

Até lá vou instalar novamente o Tinder e apontar tudo o que acho estar errado com a App. E talvez encontrar o Arnaldo. 

Wish me luck 

02
Nov19

É assim tão complicado acreditar no Arnaldo?

Maki

Sinto-me ofendida. Quando me perguntaram se ainda estava solteira falei do Arnaldo, um tipo ligeiramente mais velho, estupidamente alto e nada gato.

Ok, ele não existe. Mas wow, podiam fingir que acreditavam que eu conseguia arranjar homem, nem que fosse apenas por uns breves minutos. 

Agora por uma questão de honra tenho mesmo que encontrar um Arnaldo, de preferência ligeiramente gato. 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D