Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A minha vidinha

A minha vidinha

25
Nov19

Quando nem o primeiro nem o segundo funciona correctamente

Maki

Tenho andado mal, meio que a arrastar no lodo... Felizmente o meu segundo cérebro agora está bacaninho, aliás, bacaninho é favor, nunca na minha vida tive o transito intestinal tão bom... isto de obrar duas vezes e não ter a barriguinha inchada é um novo mundo para mim.

Mas nas semanas em que estive doente, voltei a andar na corda bamba a tentar equilibrar-me ao lidar com a ansiedade e a não cair no poço da depressão. Nestas duas semanas meti a faculdade de lado, e agora... Ui agora, ui, agora sempre que penso nela o meu coraçãozito começa a apertar a respiração fica pesada, começo a coçar-me apesar de não ter comichão.

Não tenho vontade de fazer nada... Tenho que sair deste estado inerte.

Estou a voltar ao desporto, mas nem deslizar na água me alegra o dia, porque me canso após 50m. Vou este fim-de-semana a casa para atormentar os meus amiguinhos me conectar com as origens. Para a semana tenho que começar a marcar reuniões para realizar uma analise de mercado e começar a mexer no Android Studio. E hoje vou voltar à tese, como se não houvesse amanhã.

Se na Black Friday houverem descontos em fatos de triatlo vou ser doida e investir num para me obrigar a treinar a sério e começar a competir no verão. O meu problema é que não consigo estou disposta a dar mais que 100 euros por uma roupinha apertaducha que só vou usar em provas nas quais também tenho que pagar a inscrição. (E a verdade é que também tenho medo de mandar vir um fato carissimo e aquela porra não me servir... Ou se o corto mal e aquela porra se estraga... Ou se se rompe no meio de uma prova...). Ninguém me quer patrocinar? Eu tatuo o vosso blogue no braço.

 

 

18
Nov19

Mais uma voltinha

Maki

Voltei novamente na porcaria da clínica xpto. 

Entrei, fui para o piso, e uma das máquinas das senhas estava avariada. Portanto havia fila para as outras duas. Entretanto outra deixou de ler os cartões. Pelo que caguei naquilo e fui tirar a senha ao piso de baixo, o que é um bocadinho aborrecido tendo em conta que estou assim meio que doente. Saí, desci. Fiz o processo de tirar a senha e pagar. Mete cartão, tira cartão. Mete cartão, tira cartão. Mete cartão irritada, tira cartão irritada. Repete até que aquela porcaria lê todos os cartões. A máquina cospe a factura, mas não cospe a senha. Fico à espera mas não sai nada.

Vou falar com a senhora da recepção, "tem que tirar senha para o atendimento" - não havia ninguém na sala -  explico a situação e lá me atende sem necessidade de senha. 

Não encontra a senha no sistema, e eu com a fatura na mão. Encontra a senha no sistema. Diz-me o número da senha. Volto para o piso onde vou ter a consulta. Correndo o risco de me terem chamado enquanto estava a encontrar o meu número de senha e subia para o andar. Uma luta contra o tempo. 

Tic tac, tic tac, uma pessoa nunca sabe quando a diarreia vai aparecer. 

Sou chamada, a senhora é um amor de médica que realmente ouviu o que eu disse. Deu-me umas pancadinhas, realmente profissionais, com intuito de ver se estava oca. Estava. Tive uma dorzita mais intensa e um ataquezito quando ela me deu as pancadinhas no lado esquerdo. "Que não seja apendicite, que não seja apendicite". A senhora não reagiu por isso não deve ser apendicite. 

Receitou-me umas ceninhas, explicou-me para que cada ceninha servia e o que eram. Wow. Nem quando apanhei médicos com um estagiário anexado fui tão bem atendida.  Fiquei fã da mulher. Até tive vontade de a abraçar! E eu não sou fã de abraços. Mas espero não a ter que ver nos próximos tempos. 

16
Nov19

Ansiedade

Maki

Imaginem acordar, e dares por ti a boiar em alto mar com o mar agitado, a vossa direita e a menos de 2 metros tem um barco. 3 braçadas é o que te separam dele. Tentas mexer o corpo mas só consegues mexer os dedos dos pés e das mãos. Começa uma tempestade, e a corrente arrasta-vos. Agora estão a 10m do barco, e não consegues mexer seja o que for. Estão a 25 metros do barco. A ondulação está cada vez mais agitada, e devido à mesma por vezes passas alguns segundos submersa. O corpo continua a não responder. 

Estás a 50m do barco. Vês um clarão e ouves um trovão, e outro, e outros. O barulho é ensurdecedor, a água da chuva bate-te cada vez mais forte na cara. Começas a conseguir mexer os braços 

 

 

Ps:adormeci ao escrever isto, porque nadar contra a corrente é exaustivo e frustrante. Senti que não fazia sentido continuar o texto

14
Nov19

"É o Bento minha senhora"

Maki

"Uma senhora ao ouvir baterem ao postigo disse à caseira para ver quem era.

" É o Bento minha senhora." Diz a caseira. 

"Diga que entre."

"Mas minha senhora, é só o Bento!" responde a caseira. 

"Diga que entre!" ordena a senhora. 

A caseira abre o postigo e deixa o vento entrar.".

 

(No entanto a caseira enganou-se, o vento estava acompanhado do Cronos,  e entraram juntos. À sua passagem a memória alterou-se, e parte da tradição oral perdeu-se. )  

13
Nov19

Evasão!!!

Maki

Modéstia à parte, sou óptima com primeiras impressões. Óptima. O que faz de mim uma péssima utilizadora de dating apps.

Ontem apareceu-me um aviso que me devia senti lisonjeada porque um tipo gastou não sei quê para prolongar a match. Não senti. Senti-me assustada. Abri o perfil: loiro, olhos claros, sorriso direito, sempre a olhar para a câmara, bonito. O típico gajo que evito.

Como o bumble disse que eu me devia sentir lisonjeada, e no perfil o tipo disse que gostava de sentido de humor, "talvez, t-a-l-v-e-z, o tipo tenha achado piada ao meu perfil, e queira comentar a parte do Shrek" pensei eu. Mandei mensagem a perguntar pela vidinha, que com a informação do perfil não dava para arranjar tema melhor.

Um simples como vai a vidinha, gerou uma mini conversa em que 1 a cada 3 mensagens são flirty. E não é um flirty inteligente, não. É dos mais ranhosos que alguma vez vi. E olhem que uma vez um tipo achava que afirmar que eu jogava wow lhe dava o direito a por a mãozinha na minha anca (que aparentemente é um íman de retardados). Para além de evasivo era incoerente. Ora dizia que me achava linda, ora me pedia fotografias porque as outras se viam mal.

Caguei no pedido e tentei mudar de tema. Mas o cabrao continuou com a evasão e eu acabei por cagar nele. Começo a achar que os meus amigos têm razão e eu tenho um tipo de homem: "alentejano, feio, pobre, artista, com sentido de humor questionável". Já dizia o Toninho: "quem feio ama bonito lhe parece, quem bonito tem não sabe bem se lhe pertence.

12
Nov19

A tecnologia serve para facilitar

Maki

56 minutos. Estou à 56 minutos à espera que me chamem para uma consulta. O que faz com que eu já esteja atrasada para a próxima consulta que já paguei, e não me posso avisar ninguém porque o raio do hospital é todo tecnológico (isto é, resolveu cortar as despesas associadas a recursos humanos), pelo que funciona com senhas, pré-pagamento e essas moengas todas que o tornam super amigo das pessoas de idade.

A culpa é da médica? Talvez, talvez a senhora se tenha deixado dormir. Mas cheira-me que é mais do hospital que considera que 15 minutos é tempo suficiente para uma consulta tanto para crianças como para adultos. 

 

Actualização: após 1h20 se espera ligaram-me a perguntar se estava no hospital, porque a doutora não me conseguia chamar. Acontece que a senhora não me conseguia chamar porque já me tinham chamado para a consulta das 10h (inclusive ligado a perguntar onde raio estava), pelo que o sistema buggou porque pronto...  uma pessoa não pode estar em 2 sítios ao mesmo tempo. Como a senhora não me conseguia chamar, cagou em mim e chamou o paciente seguinte. Finalmente ligaram-me a perguntar onde estava,  eu dei 5 passos e disse "aqui, isto ainda demora?". Esperei mais um bocado e fui atendida. Estive no consultório cerca de 5 minutos e abalei com o papel com os exames que tenho que fazer. 

Quantos milhares terão investido naquele sistema buggento? 

 

Actualização 2: hoje marquei ainda uma terceira consulta no mesmo grupo privado de saúde, mas noutro estabelecimento. 

Cheguei ao 12h20, tirei a senha e desloquei-me para o piso. Assim que me sentei olhei para o ecrã das senhas e já me tinham chamado. Levantei-me imediatamente e fui para o gabinete. Bati à porta, esperei um bocadinho. Pareceu-me ouvir um entre. E entrei. Não era para entrar, então sai. Fiquei a espera à porta. Lá o homem me chamou. Comentário fdp por eu ter entrado "antes de tempo", mereceu resposta fdp. Disse o que tinha a dizer. Tira casaco. Tira camisa. Mostra coluna. Palmadinha super profissional na anca. Cara de "ambos sabemos que essa merda não é profissional, outra brincadeira dessas e ficas sem mãozinha". "Os ombros estão direitos, blabla, não ponha essa cara menina.". Ponho uma cara pior. "Vai fazer este exame e depois volta". Silêncio enquanto a impressora funciona. "Não deve ter problemas aquando da gravidez". Silêncio enquanto o homem assina. "Quando voltar traga uma radiografia antiga e a mais recente. Beijinhos". "Adeus". Às 12h35 estava a sair da clínica. 

Juro que se hoje ouvir um "os hospitais privados tem uma qualidade excepcional" a criatura vai ter o prazer de experimentar as urgências dos mesmos. 

11
Nov19

No, no, no

Maki

Tenho andado desmotivada com tudo. Desde que voltei da terrinha ainda não fiz nada para a dissertação, durmo imenso, choro baba e ranho com reportagens/filmes/series. E isso é assustador. 

Passo os dias sem pensar em nada (literalmente não ouço nada a acontecer cá dentro, o tico e o teco estão caladissimos), ando em auto-piloto, e isso uuuuf é extremamente estranho. 

E apercebi-me do quão grave isto está ontem num jantar... Estava a contar a desgraça de encontro que tive (pensei que fugir à rotina fosse bom), elas riram e riram, e eu também, mas só me ria porque pronto... Sabia que era suposto também me estar a rir enquanto descrevia a ranhoca a espreitar pelo nariz do rapaz e a escorregar até ao bigodinho. 

Estou tão atrasada na tese... Tenho a vida estagnada, e tenho medo de acabar aquela porcaria porque vejo os meus amigos a trabalhar e a deixar de ter tempo e ser feliz... (não é como se neste momento eu estivesse a cagar arco-íris, mas pronto... Pelo menos tenho tempo para deprimir) 

Vou passar a jogar no euro milhões a ver se ganho aquilo e posso descansar um bocadinho. 

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D